Para o Motorista

Personalização de carros: veja as regras e o que pode ser feito

Personalização de carros

Você é apaixonado pelo seu automóvel, mas ainda quer deixá-lo mais bonito e com a sua cara? A personalização de carros é possível e, até mesmo, permitida por lei. Mas saiba que os procedimentos autorizados pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB) têm limites. Sendo assim, você deve segui-los se não quiser ter problemas no futuro.

Outro ponto a que você deve ficar atento é quanto à diferença entre personalizar, customizar e tunar o veículo. O primeiro se refere à instalação de novos acessórios ou mudança na pintura. O segundo trata de adaptação aos seus gostos. Já o terceiro prevê mudanças mais radicais nas características do carro.

Neste artigo, vamos mostrar para você o que diz a legislação brasileira sobre o assunto. Além disso, vamos mostrar alguns procedimentos de personalização e de customização mais comuns entre os motoristas. Confira!

O que diz a lei?

No Código de Trânsito Brasileiro, as regras para a personalização de carros, assim como a customização e o tunning são bem claras, prevendo penas como multas, pontuação na carteira de habilitação e até retenção do veículo, dependendo do caso. Portanto, ao planejar as mudanças que pretende fazer, é preciso conhecer os limites legais.

O primeiro ponto a ser observado é que nenhum carro pode sofrer alterações sem que haja comunicação formal à Delegacia de Trânsito da região onde você vive. Mais do que isso: se você for pego pelos órgãos responsáveis dirigindo um veículo modificado de forma irregular, sem aviso às autoridades, poderá perder 5 pontos na CNH e levar uma multa de R$195,23 (dados de janeiro de 2019), pois é considerado uma infração grave.

Quais os passos para a legalização das mudanças?

Se você deseja fazer transformações em seu veículo, siga os passos para a personalização de carros de forma legalizada:

  1. solicite a autorização de alteração junto ao Detran da sua região no momento em que está planejando as mudanças;
  2. leve o projeto que será analisado pelas autoridades na Delegacia de Trânsito para entender se as modificações estão de acordo com a legislação;
  3. somente após receber a autorização devida, leve o carro à oficina para fazer a personalização.

Seguradora

É importante lembrar-se de que se você tiver um seguro automotivo, também deve comunicar as alterações à seguradora para não ter problemas caso ocorra um sinistro. Saiba que algumas empresas podem não aceitar ou modificar o valor da cobertura em razão da personalização, customização ou tunning.

Quais os principais tipos de personalização de carros?

A maior parte das mudanças se refere a questões estéticas. Mas algumas delas interferem no desempenho do veículo e, por isso, devem ser feitas por profissionais especializados e com muito cuidado para que não afetem a sua segurança ao dirigir. Conheça algumas delas a partir de agora!

Rodas esportivas

Muitas pessoas desejam dar um ar mais esportivo aos seus veículos e uma boa forma de modificar o design é a troca de rodas. A instalação delas depende do tamanho do aro, da furação das originais, do modelo e do ano de fabricação.

É importante que você descubra, antes de fazer a compra, se as rodas novas serão compatíveis com o seu automóvel. A legislação não permite que haja alteração no diâmetro externo do conjunto de pneus e rodas. Portanto, essa é a primeira observação que deve ser feita antes da transformação.

Máscara negra nos faróis

Quer deixar o seu veículo com jeito de novo sem fazer grandes mudanças? O uso de máscara negra nos faróis tem esse efeito e alguns modelos novos vêm com ela de fábrica. Esse tipo de personalização de carros não costuma custar muito e também oferecem a ele um toque mais esportivo. Para fazer o procedimento, o farol é retirado e desmontado. Depois, é passada a lixa e é feita a pintura do farol.

Ponteiras automotivas

Mais um procedimento indicado aos amantes dos modelos esportivos é a fixação de ponteiras no escapamento, oferecendo mais elegância ao design do veículo. Existem diferentes modelos disponíveis no mercado e essa é uma mudança simples, que costuma também ser mais barata.

Adesivagem

Muitos carros saem de fábrica com adesivos automotivos. Em geral, eles são usados nos vidros (como a aplicação de insulfilme), nas laterais e no para-choque. Essa é a mudança mais comum e simples que pode ser feita no seu carro, mas também deve seguir a padronização imposta pelas leis de trânsito brasileiras.

Potência do motor

Quando falamos em transformações que vão modificar o desempenho do veículo, a situação deve ser analisada com mais cuidado. O indicado é sempre contar com o apoio de um profissional qualificado, pois pode haver questões de segurança envolvidas. Para aumentar a potência do seu motor, por exemplo, as leis brasileiras permitem um limite de 10% acima do original.

Suspensão

Muito comuns, provavelmente é o que mais temos visto nas ruas em relação à customização de veículos. No entanto, como o sistema de suspensão é responsável pela estabilidade e segurança no carro, é preciso atenção: verifique se não prejudica o desempenho do amortecimento e se está de acordo com a legislação brasileira.

Reduzir as suspensões originais apenas cortando-as também não é o melhor procedimento. Procure por kits de rebaixamento existentes no mercado adequados ao modelo do seu carro para fazer essa mudança.

Pintura do carro

Há um limite legal de até metade do carro para que a mudança no veículo possa ser feita sem a necessidade de alterar a documentação dele junto ao Detran. Fora isso, a lei é bastante permissiva em relação à personalização de carros por meio de alterações na pintura.

Equipamentos de som

Quem gosta de música é, muitas vezes, também um apaixonado por equipamentos que potencializem o som instalado no veículo. Mas há alguns pontos que devem ser observados antes de fazer essa adição. Um deles é uma conversa com o profissional que vai fazer a instalação para que não haja sobrecarga do sistema elétrico do carro.

O outro é que a legislação limita em até 80 decibéis a altura permitida para ouvir música no carro, que são medidos a uma distância de 7 metros. Ultrapassando esse limite, a multa pode ser aquela referente a uma infração grave, que mencionamos no começo deste artigo.

Deu para perceber que nem tudo é possível quando se fala em personalização de carros. Mesmo assim, há uma série de procedimentos que podem ser legalizados, desde que você siga todos os passos exigidos pelo Código de Trânsito Brasileiro.

E você? Já fez alguma modificação no seu veículo? Deixe um comentário e conte para nós como foi a sua experiência!