Gestão de Oficina Para o Mecânico

5 indicadores de oficina mecânica que você deve acompanhar

indicadores

Está sem tempo para ler? Você pode ouvir este post:

Um fator determinante para se ter um empreendimento de sucesso é o comprometimento com a busca constante pelo desenvolvimento dos processos de gestão. Isso está diretamente relacionado com a qualidade dos serviços desempenhados pelo negócio. E isso vale para qualquer empresa, ok? Quando falamos especificamente de oficinas mecânicas, precisamos ressaltar que certos parâmetros são de fundamental importância para o trabalho dos gestores. Neste post, vamos focar em uma das ferramentas capazes de ajudar (e muito) a administração nesse segmento: os indicadores de oficina mecânica.

Com esses recursos, o empreendedor se torna muito mais eficiente em suas decisões. Desta forma, promove a evolução das atividades internas sem grandes dores de cabeça pelo meio do caminho. Isso porque os indicadores permitem que se tenha uma visualização mais clara do que está dando muito certo, a fim de manter e até multiplicar tais ações. Mas também do que não está tão efetivo assim, a fim de corrigir ou até eliminar processos. Está curioso para conhecer quais são? Continue a leitura deste material.

Quais são os indicadores de oficina mecânica que você deve conhecer?

Na prática, ainda são muitos os donos de oficinas que não têm conhecimento sobre o assunto. A falta de clareza pode fazer com que o gestor nem tenha identificado esta lacuna. Pois esse caminho acaba aqui para você, combinado? Acompanhe os próximos tópicos para conhecer 5 dos principais indicadores de oficina mecânica e começar logo a traçar um roteiro rumo ao sucesso!

1. Ticket médio

Ticket médio é uma expressão que foi criada para identificar o valor médio gasto por cliente na sua empresa. A lógica é simples: quanto maior é esse parâmetro, mais os clientes estão gastando com seu negócio, o que mostra uma maior lucratividade. Uma média de compra menor deixa evidente que a empresa não está sendo eficiente em suas estratégias de gestão. Nesse caso, é necessário promover mudanças nos processos.

Lembrando que essa informação também serve para mensurar o nível de satisfação do público consumidor por meio do monitoramento das compras.

Encontrar o valor do ticket médio da sua oficina mecânica é simples. Basta calcular o faturamento total em determinado período e dividir esse número pela quantidade de clientes que contrataram seus serviços ao longo desse tempo. Imagine, por exemplo, que você obteve uma receita de 10 mil reais em um mês e que nesse período foram atendidos 50 clientes. Nesse contexto, o ticket médio será o faturamento de 10 mil dividido pelos 50 serviços executados. Chega-se, então, ao total de 200 reais, valor médio de gasto por cada cliente.

2. Margem de lucro

Uma das principais métricas que os empreendedores têm que acompanhar é a margem de lucro. Esse indicador ajuda a definir os preços dos serviços e produtos da empresa de forma a maximizar os lucros. Resumindo, podemos dizer que a métrica está diretamente relacionada à formação de preços, à estipulação de vantagens competitivas perante o mercado e, é claro, à lucratividade.

Sua real função é otimizar a precificação das atividades internas, a fim de estabelecer a cobrança ideal para cada trabalho ou produto. Para tanto, são avaliados em seu cálculo os custos da reparação (mão de obra e peças substituídas) e o acréscimo sobre os custos, estabelecendo assim o preço final da operação. Como dá para perceber, trata-se de métrica de vital importância para a ascensão da oficina. Isso porque um gestão que não compreende suas margens não tem como definir a precificação correta de suas atividades.

Para calcular esse indicador, primeiramente é preciso encontrar o lucro bruto. Isso nada mais é que a diferença entre o faturamento total obtido e os custos de execução do serviço. A fórmula fica assim: lucro bruto = receitas totais – custos do trabalho. Em seguida, basta calcular a margem de lucro bruto, que será uma porcentagem obtida da relação entre o lucro bruto e a arrecadação total. Aqui, a fórmula é: margem de lucro = lucro bruto / arrecadação total.

3. Rotatividade de funcionários

Atenção: ao contrário do que muita gente pode pensar, não basta apenas investir em novas estratégias. Também é preciso estar constantemente em busca do aperfeiçoamento dos processos internos, bem como de meios para aumentar a motivação da equipe. Nesse sentido, um bom indicador a acompanhar é a rotatividade de funcionários, métrica que ajuda o gestor a entender melhor a situação interna da oficina mecânica.

Pense bem: um alto índice de evasão na empresa pode estar atrelado a falhas na administração. Pode estar relacionado também a uma deficiência organizacional ou até mesmo a um sentimento de desvalorização por parte dos colaboradores. Detectadas as causas, é preciso buscar as devidas soluções o quanto antes. Afinal, se a situação permanecer igual, o crescimento da oficina será comprometido.

Lembre-se sempre de que um time de funcionários sem sintonia com os planos e projetos da empresa tende a puxar o rendimento para baixo. Além disso, geralmente oferecer um atendimento de má qualidade aos clientes. Você não quer ter que lidar com isso na sua oficina, quer?

4. Produtividade

Outra métrica de grande importância para a boa gestão de uma oficina é a produtividade. É com o estudo desse indicador que a administração consegue planejar ações mais efetivas para o desenvolvimento da empresa, sabia? Assim, questões relacionadas à eficiência das máquinas, ao tempo gasto nos serviços por funcionário e à quantidade de atendimentos diários, por exemplo, devem fazer parte dos indicadores de desempenho da oficina.

É preciso monitorar a todo momento a qualidade dos processos internos, de modo a aprimorar as tarefas executadas e diminuir o tempo de operação de cada atividade. Isso pode ser feito com a substituição de equipamentos ultrapassados ou que estejam em péssimas condições de uso, por exemplo, ainda disponibilizando treinamentos para os colaboradores sobre assuntos técnicos ligados à sua área de atuação.

5. Satisfação do cliente

Por fim, não poderíamos deixar a satisfação do cliente de lado! Esse também é um ótimo indicador, pois ajuda o gestor a avaliar se os processos realizados na empresa estão (ou não) caminhando na direção certa.

Existem várias formas de mensurar a satisfação do público. Pode ser, por exemplo, por meio de pesquisas avaliativas sobre o serviço prestado pela oficina, identificando o trabalho como ruim, bom ou excelente. A ideia é entender o quanto seu negócio é efetivo na proposta escolhida para sua atuação.

Se os resultados mostram aspectos negativos, é preciso promover mudanças pontuais e imediatas nas áreas que têm afetado a performance do atendimento da sua oficina. Com isso, será possível alcançar bons resultados no relacionamento com os clientes e, consequentemente, aumentar os lucros do empreendimento.

Agora você já conhece os principais indicadores de oficina mecânica que deve acompanhar para administrar bem seu negócio. Então, trate de assinar a nossa newsletter para ficar sempre por dentro das novidades sobre o segmento!

Estoque para oficina mecânicaPowered by Rock Convert