Para o Mecânico

Peças nacionais e importadas: quais são as diferenças na prática?

Mecânicos comprando pecas no tablet

O mercado atual de oficinas mecânicas está cada vez mais competitivo e versátil. Com isso, os negócios que não oferecem serviços diferenciados e que agradem o consumidor, tendem a perder espaço.

A inovação no ramo de oficinas mecânicas deve incluir um atendimento prestativo, preços competitivos, manutenções que priorizem a segurança dos mecânicos e dos veículos e, claro, soluções que vão além da assistência técnica e revisão, como é o caso da revenda de peças.

A revenda de peças automotivas é uma excelente aposta para donos de oficinas que desejam aumentar seus lucros, estabelecer um diferencial em relação à concorrência e fidelizar clientes. Ao optar por oferecer esses produtos, os donos de oficina devem ter uma boa variedade de produtos e buscar parcerias com bons fornecedores.

Se você está pensando em revender peças na sua oficina, uma das suas primeiras dúvidas deve ser escolher entre priorizar peças nacionais ou importadas, correto? Pois é por isso que estamos aqui hoje.

A seguir veja quais são as diferenças entre peças nacionais e importadas. Vem com a gente!

 

Como escolher entre peças nacionais e importadas?

Esse é um questionamento recorrente para praticamente qualquer dono de oficina mecânica que deseja revender peças em seu estabelecimento. E encontrar a resposta para essa dúvida pode ser um grande desafio. É imprescindível realizar uma análise minuciosa das vantagens e desvantagens de cada opção.

Após uma breve análise, optar por peças importadas aparenta ser a opção mais vantajosa. No entanto, as peças nacionais podem oferecer diversas facilidades que podem ser altamente atrativas para os seus clientes.

Ao longo do artigo de hoje, elaboramos um apanhado com as principais vantagens e desvantagens das peças nacionais e importadas. Não siga uma receita pronta, avalie quais são as necessidades do seu público-alvo para oferecer um serviço de qualidade, fazendo com que a sua oficina mecânica diferencie-se dos seus concorrentes.

 

Peças nacionais

Muitos donos de oficinas mecânicas já tem em mente que optar por peças produzidas dentro do Brasil acaba sendo uma opção desvantajosa, devido aos custos elevados quando comparadas às peças de países como China ou Estados Unidos.

No entanto, essa não é mais um fato absoluto. Ao disponibilizar peças nacionais, é possível oferecer diversas vantagens aos seus clientes, e deixar para trás toda a burocracia e dificuldades quando o assunto é importação.

 

Vantagens e desvantagens das peças nacionais

Confira a seguir as principais vantagens atribuídas às peças produzidas dentro do Brasil, e descubra se elas podem suprir as necessidades de seus clientes!

 

Prazos de entrega mais rápidos

Quando o assunto é peças nacionais, a proximidade física de seus fornecedores é uma das principais vantagens, tendo em vista que é possível garantir entregas mais rápidas e oferecer um serviço de avaliação no próprio local, o que geralmente não é possível com fornecedores distantes.

Mesmo com o tempo de produção de uma determinada peça, um fornecedor local tem chances maiores de conseguir entregar em um tempo mais ágil que os demais.

 

Fornecedores exclusivos

Adquirir de um fornecedor que ofereça uma mercadoria ou serviço exclusivo no mercado pode valorizar ainda mais o seu empreendimento. Fechar um contrato de parceria desse tipo pode atribuir diversos pontos positivos para o seu negócio, como: maior transparência e alinhamentos nos processos.

A comunicação com o seu fornecedor é outro ponto que pode ser otimizado, assim como a possibilidade de conseguir preços menores ao criar uma relação de parceria entre empresas, que tem tudo para oferecer benefícios mútuos.

A soma de todos esses fatores, implicar em maior qualidade dos serviços oferecidos em sua oficina, garantindo maior competitividade no mercado.

 

Incentivo ao mercado nacional

Essa pode ser a menor das vantagens ao optar por peças nacionais, no entanto ela não deixa de ser importante! Oferecer a possibilidade de escolha para peças nacionais é a melhor maneira de impulsionar e incentivar o setor em que sua oficina mecânica está inserida.

Afinal, a medida em que o número de peças nacionais cresce dentro do país, os preços tendem a diminuir.

 

Preços mais elevados

A grande desvantagem das peças nacionais está no fato de que a produção interna costuma ser mais cara do a importação de outros países. A começar pela matéria-prima utilizada, que muitas vezes não é encontrada no país e precisa ser importada antes que a produção, de fato, seja iniciada e, assim, acaba encarecendo, logo de cara, as peças nacionais.

Além disso, a tecnologia de produção no país ainda está em desenvolvimento, o que muitas vezes significa que os produtos que se equiparam à qualidade de importados renomados, têm custo de produção muito mais oneroso no país, encarecendo as mercadorias finais.

Por fim, não podemos deixar de mencionar as altas taxas tributárias que ainda incidem sobre a produção, que fazem com que o processo produtivo se torne mais caro (com algumas exceções).

 

Como é o processo de importação?

O processo de importação de peças automotivas costuma apresentar vantagens como a diversidade (ou até mesmo exclusividade) de peças de marcas específicas e, em alguns casos, preços de itens de manufatura mais vantajosos.

Entretanto, a importação costuma ser burocrática, exigindo uma série de cuidados e cumprimento de protocolos que vão desde a negociação dos produtos com fornecedores de outros países (geralmente no idioma deles), especificação dos termos contratuais, frete internacional, contrato para esse deslocamento, pagamento de tributos sobre a importação.

Além disso, é também necessária a contratação de despachante para realização da nacionalização dos produtos que chegam ao país e agilização das documentações exigidas nas vistorias fiscais.

As exigências legais e tributárias jamais podem ser negligenciadas, em alguns casos existe a concessão de isenções fiscais por parte do governo, porém até mesmo para esses casos é necessário que haja todo um cuidado em relação à documentação.

Ademais, é preciso ressaltar que caso a importação não cumpra os procedimentos e normas requeridas, ela estará sujeita à onerosas penalidade e, em alguns casos, até mesmo devolução da mercadoria.

 

Vantagens e desvantagens das peças importadas

Uma das principais vantagens da importação de peças automotivas é o fato de que, em alguns países, os produtos (em especial os de manufatura) apresentam valores mais baixos que os nacionais, o que, em alguns casos, pode tornar a revenda mais lucrativa do que a produção local.

Isso porque, na importação advinda de países como China, Vietnã e Estados Unidos da América, no processo de produção manufaturada economiza-se em maquinário, energia, mão de obra e matéria-prima.

Contudo, a vantagem do valor do produto muitas vezes é perdida devido aos custos de locomoção e frete, tributos sobre a importação e demora para a chegada das mercadorias.

Contornar esses fatores requer um grande planejamento estratégico de médio e longo prazo, programando vendas para no mínimo 60 dias após a data da compra em outro país (que é o prazo médio para a chegada dos produtos importados).

 

Cuidados necessários para a importação de peças

Se você optou por importar peças para revenda na sua oficina mecânica, você deve, antes de qualquer outra coisa, buscar por fornecedores de confiança e credibilidade, o que costuma ser um dos maiores desafios para importadores.

Para que as peças sejam atestadas pela fiscalização e a documentação fique toda nos conformes, existe a possibilidade de contratação de tradings, que são empresas especializadas nesse tipo de procedimento.

E então, entendeu quais são as principais diferenças das peças nacionais e importadas na prática? Compartilhe este post em suas redes sociais para que seus amigos também fiquem por dentro do assunto!