Para o Mecânico

Ferramentas para oficina mecânica: 5 que não podem faltar

Oficina mecânica de automóveis

Está sem tempo para ler? Você também pode ouvir este post:

Descrevendo de uma forma bem-humorada, a oficina mecânica é como um ambiente hospitalar para pacientes automotivos. Os proprietários encostam o veículo no pátio, descrevem uma queixa e demonstram preocupações quanto à recuperação do paciente. À parte dessa metáfora, tanto os hospitais quanto a sua oficina precisam compartilhar duas semelhanças.

A primeira é a existência de um grupo de profissionais capacitados na resolução dos problemas. Já a segunda similaridade se trata da existência de algumas ferramentas fundamentais na prestação do socorro. Sendo assim, hoje separamos as principais ferramentas para oficina mecânica.

Elas não são as mais sofisticadas, mas sim as mais úteis, fundamentais na realização de reparos simples e convencionais. Além disso, logo ao final do post, você encontrará algumas dicas que podem ajudá-lo na organização dessas ferramentas no interior da sua oficina. Acompanhe!

Quais ferramentas são indispensáveis em uma oficina?

Sendo ou não um iniciante no ramo automotivo, uma coisa há de ser entendida: uma oficina precisa estar apta a resolver as demandas dos consumidores. Não queremos dizer que isso deve acontecer em 100% dos casos, pois até mesmo as oficinas mais sofisticadas podem acabar recusando um serviço, seja por falta de peças, ferramentas ou profissionais.

No entanto, em se tratando de uma oficina recém-aberta, a construção da reputação demanda trabalho, e o negócio não pode se dar ao luxo de perder ordens de serviço por falta de ferramental. Basta considerar que, no início do estabelecimento, boa parte da publicidade regional será feita pelo marketing boca a boca.

Sendo assim, demonstrar prestatividade e competência será essencial na conquista de novos clientes. Entretanto, o contrário também é uma verdade. Basta imaginar como será ruim para o negócio sofrer com boatos no bairro pela falta de competência ou ferramentas durante os reparos.

Por isso, a fim de garantir o sucesso do seu empreendimento, adquira as ferramentas listadas abaixo, assegurando-se de que terá condições de realizar os reparos mais cotidianos de uma oficina. No mais, basta focar na simpatia do atendimento, seguido pela qualidade dos serviços prestados.

Agora, confira as ferramentas!

1. Alicates

Dos processos mais simples aos mais complexos, os alicates serão exigidos em uma infinidade de serviços, como para torcer e cortar cabos, auxiliar no manejo de pequenas peças, descascar fios etc.

A recomendação é que você adquira um kit de alicates, evitando os modelos multifuncionais, que dificultam o manuseio. No cotidiano profissional é muito melhor dispor de ferramentas boas e específicas para cada finalidade, do que um instrumento complexo que faça tudo de maneira sofrível.

2. Chaves

Assim como os alicates, as chaves serão necessárias em quase todos os procedimentos de uma oficina mecânica. Assim, a principal recomendação é que você invista em uma boa caixa de ferramentas, com peças de qualidade incontestável. Afinal, esses instrumentos lidarão cotidianamente com o estresse de torções, pressão e afins, portanto, precisam apresentar longa durabilidade.

Caso você não compre as chaves individualmente, optando pela aquisição de um conjunto, dê atenção ao quão completo é o kit. Você precisa de inúmeros modelos, com uma infinidade de especificações e diâmetros. Entre os principais estão:

  • chaves Allen;
  • combinadas;
  • de boca;
  • de fenda;
  • de roda tipo cruz;
  • inglesa;
  • Philips;
  • Torx etc.

3. Instrumentos de medida

A mecânica exige certa precisão, seja durante os projetos ou ao longo dos reparos. E é por esse motivo que você precisa de alguns instrumentos de medição, garantindo maior exatidão e comodidade aos serviços prestados. Esses instrumentos apresentam diferentes finalidades, avaliando dimensões, tensões elétricas ou forças mecânicas.

Tratando-se de dimensão, você deve investir, em um primeiro momento, em paquímetros. Posteriormente, percebendo necessidade de um novo investimento, considere a aquisição de micrômetros, que garantem maior precisão devido sua escala micrométrica.

Para verificar aspectos elétricos — capacitância, corrente, resistência ou tensão — é fundamental a aquisição de um multímetro. Já para estar apto à medição de forças mecânicas, você precisará comprar um torquímetro, que auxiliará no monitoramento de força aplicada na torção de um parafuso ou porca, evitando prejuízos.

4. Scanners automotivos

Atualmente, esses instrumentos são fundamentais no cotidiano de uma oficina mecânica que aceite serviços de inspeção eletrônica. Afinal de contas, os recentes avanços tecnológicos têm viabilizado o emprego de muitos itens eletrônicos no interior dos carros, conforme a necessidade dos motoristas.

Sendo assim, você deve valorizar o seu tempo, e o investimento em scanners é uma excelente maneira de fazer isso. Esses dispositivos — uma vez plugados nas centrais eletrônicas dos automóveis — conseguem realizar um diagnóstico amplo dos veículos, detalhando quase que imediatamente todas as falhas e suas localidades.

5. Instrumentos de elevação

Aqui, diferentemente das outras ferramentas, não será necessário adquirir inúmeros modelos, bastando contar com uma opção para elevar ou suspender os veículos. Assim, será possível realizar os reparos sem grandes dificuldades.

Um exemplo simples desse tipo de instrumento é o macaco, ideal para os reparos mais convencionais, que não exijam a suspensão completa do veículo.

Já uma alternativa mais cara, sofisticada e completa é o elevador automotivo, que possibilita suspender o veículo totalmente, dispensando os fossos, utilizados para os reparos em altura subterrânea. Sobretudo em oficinas pequenas, o elevador pode ser uma forma de otimização de espaço, estacionando veículos sob um automóvel já suspenso.

Como organizar as ferramentas na oficina?

Apesar de negligenciado em algumas oficinas, saiba que o fator organização é fundamental na transmissão de confiança aos clientes. Por isso, pense e organize todas as ferramentas considerando tanto a estética do ambiente de trabalho, quanto a funcionalidade na execução dos serviços.

Assim, determine seções específicas para cada grupo de coisas, facilitando o acesso às ferramentas por todos os funcionários. Instrumentos menores podem ficar reunidos de forma organizada sobre algum balcão. Já o ferramental mais robusto e pesado, como as chaves de roda em cruz, pode ficar suspenso em um painel da parede, facilitando a visualização e o acesso.

Quanto aos instrumentos eletrônicos, pode ser interessante conferir as condições de armazenamento — ainda que esses itens sejam fabricados considerando a hostilidade do ambiente. De uma maneira geral, guardá-los nas gavetas dos balcões anteriormente citados já será suficiente para protegê-los do derramamento de fluídos ou outros eventuais danos.

Gostou dessa lista com as principais ferramentas para oficina? Então aproveite para descobrir um pouco mais sobre o sensor de temperatura do motor. Acesse nosso post e veja 3 dicas para aperfeiçoar seus diagnósticos com o uso desse acessório!