Quando substituir o disco de freio do carro?

A grande maioria das peças e componentes de um veículo apresenta uma vida útil que costuma variar de acordo com o quanto elas são demandadas e com a resistência dos respectivos materiais com que são confeccionadas. Saber sobre o disco de freio quando substituir, por exemplo, é algo inadiável, que aumenta a segurança no trânsito e a dirigibilidade do veículo.

O sistema de freios é um dos mais importantes, e suas peças precisam ser revisadas com frequência e, eventualmente, substituídas. Elas são responsáveis por frear o veículo. É uma atividade constante, e que projeta sobre tal sistema quase todo o peso da automóvel. Além disso, o esforço é maior ou menor de acordo com a velocidade.

Quer saber mais sobre a substituição dos discos de freio e quando isso deve ocorrer? Selecionamos os principais sinais de que a substituição é necessária. Continue a leitura e confira!

O desgaste do disco de freio, quando substituir?

Como já apontado, algumas peças passam por um desgaste natural, e os discos de freio são bons exemplos dessa afirmação. Eles trabalham em constante atrito com as pastilhas de freio e sob elevadas temperaturas e, nessas condições, não há como não acontecer o desgaste dessas peças.

Isso significa que, ao ser instalado, o disco começa com uma determinada espessura e, com o passar do tempo de sua utilização, ele vai afinando aos poucos. Em dado momento, a troca será imprescindível, sob pena de perder por completo a eficiência dos freios. Claro, isso representa alto risco no trânsito para os ocupantes do veículo e também para terceiros.

Certamente, são os componentes relacionados à segurança aqueles que mais precisam da atenção do proprietário e dos reparadores automotivos. Logo, o sistema de freios é um ótimo exemplo da necessidade desse cuidado constante.

Sinais do desgaste

O primeiro sinal já foi apontado, que é a perda da espessura do disco de freio, resultado do atrito entre ele e as pastilhas. Essa perda de material acaba, em algum momento, por demandar a substituição da peça. Mas esse é um sinal que, geralmente, só pode ser verificado por um mecânico após a desmontagem da roda do veículo.

Alguns outros sinais são mais fáceis de serem detectados pelo proprietário do automóvel. Veja a seguir!

Trepidação nas rodas

A trepidação nas rodas quando o freio é acionado acontece porque, quando o disco de freio está gasto, costuma empenar. Essas imperfeições na superfície, que lembram ondulações, fazem com que uma vibração seja transmitida para o volante quando há o contato com as pastilhas de freio.

Isso pode acontecer até mesmo de forma precoce, quando a peça não tem um padrão de qualidade exemplar, ou quando é mal instalada, ou por falta de pré-assentamento. Por isso, é importante contar com profissionais qualificados e que trabalham com peças de alta qualidade em suas oficinas. Essa é a melhor maneira de evitar peças ruins, ou a instalação incorreta, que ocasiona o desgaste irregular e prematuro dos componentes.

Dificuldade para frear

A dificuldade para frear o veículo é outro sinal percebido primeiro pelo proprietário, que deve procurar uma oficina quando isso é notado. O desgaste das peças do sistema de freios pode fazer com que a atuação do conjunto não se dê da maneira adequada.

Quando não há o contato perfeito e uniforme das pastilhas com o disco de freio, um dos efeitos é um retardamento na frenagem, que demorará mais tempo e levará uma distância maior para acontecer. Isso também costuma exigir a aplicação de mais força física sobre o pedal.

Em alguns casos, é possível ocorrer uma colisão ou outros acidentes, um cenário absolutamente indesejável e perigoso, que deve ser evitado por qualquer proprietário de veículo que preze pela segurança no trânsito.

Regra da quilometragem

As montadoras e as fabricantes de peças também costumam indicar a quilometragem adequada para a substituição dos freios de disco, que costuma ser aos 40 mil quilômetros. Quando atingida tal quilometragem, procure o seu mecânico de confiança, para que avalie a necessidade de troca das peças.

As novas peças devem contar com o padrão de qualidade recomendado pela sua montadora, ou que melhor atenda a um consumidor exigente com a sua segurança e com a procedência e eficiência dos componentes empregados em seu veículo.

É válido apontar ainda que, muitas vezes, algumas economias costumam sair muito caro, pois quem paga errado costuma ter que pagar duas vezes. O valor das peças e da mão de obra sempre serão fatores de ponderação, mas não podem ser os únicos critérios, e nem os mais importantes.

A importância da troca dos discos de freio e quando substituir

Como mencionado, os discos de freio são componentes que não duram para sempre, e procrastinar a troca pode provocar diversos problemas para o sistema de freios, com o comprometimento de outras peças, bem como gerar riscos no trânsito.

Por isso, é importante estar atento aos sinais que o seu carro apresenta para você. Exemplos são as já citadas perda da eficiência na frenagem e trepidação quando o freio é acionado, bem como atingimento da quilometragem recomendada para troca dos discos de freio.

Outras peças que precisam de atenção

As pastilhas de freio também precisam ser avaliadas e trocadas quando necessário. O desgaste da área que faz o contato com o disco pode deixar a peça apenas no aço e, quando ela entrar em atrito com o disco, causará ranhuras que comprometerão a peça, bem como um ruído parecido com um assovio.

Essa ranhura poderá demandar a necessidade de trocar a peça de forma precoce, mesmo que o veículo esteja com um disco de boa qualidade. Para evitar esse gasto que poderia ser desnecessário, a melhor forma é por meio da revisão completa do sistema.

Outro item que merece cuidado é o fluido de freio, que transforma a pressão mecânica feita pelo seu pé no pedal em pressão hidráulica. Você mesmo pode verificar se o compartimento está no nível adequado, e completá-lo quando necessário.

Pode ser que seja necessário, ainda, a sangria dos freios. Trata-se de um procedimento indicado para retirar o ar presente nos dutos, como forma de garantir a eficiência dos freios, e isso deve ser feito por um profissional.

Disco de freio quando substituir?

Como você viu, o disco de freio deverá ser substituído eventualmente, devido ao desgaste natural da peça. Alguns sinais podem ser notados pelo motorista, enquanto outros, apenas por um mecânico de confiança. Não deixe de buscá-lo quando notar algo de diferente no seu carro!

Ainda está em dúvida sobre como identificar problemas nessa peça tão essencial no veículo? Confira, então, nosso artigo completo e saiba com detalhes quando o disco de freio está ruim.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.