Guia Completo para Manutenção de Freios Automotivos

Muito se ouve falar da importância de manter a manutenção de freios automotivos em dia, mas você realmente se lembra de qual foi a última vez em que o seu veículo passou por uma revisão

Apesar de todos os condutores saberem do papel que os freios têm para garantir a segurança no trânsito, muitos negligenciam as manutenções periódicas, gerando, como consequência, o aumento no risco de tragédias humanas e prejuízos materiais.

Para você ter uma ideia, a falta de revisão é a principal causa de acidentes no trânsito. Todos os anos, o número de vítimas fatais ultrapassa os 45 mil pessoas. Tendo em vista a seriedade do assunto, preparamos este artigo para explicar as principais informações sobre a manutenção preventiva dos freios automotivos.

Então, sugerimos que você leia este conteúdo até o fim para absorver o máximo de informações sobre o tema e compreender melhor os motivos que sustentam a necessidade de manter esse componente sempre em boas condições de uso. Boa leitura!

Qual é a importância da manutenção de freios automotivos?

Como já sabemos, os freios do carro têm a função de permitir que o veículo desacelere até a sua parada total. Logo, fica fácil de entender por que a manutenção preventiva do sistema de frenagem deve ser levada muito a sério pelos motoristas em geral. Afinal de contas, garantir o funcionamento dos freios vai além de manter o veículo em boas condições de uso.

Ter esse cuidado significa que o motorista preza por cumprir com a sua responsabilidade social, uma vez que trafegar com um veículo revisado aumenta a segurança no trânsito, de modo que a vida de todos que utilizam a via (pedestres, passageiros e motoristas) esteja mais bem protegida contra acidentes.

Diante disso, percebemos que os freios são um dos componentes de segurança mais importantes de um carro. Portanto, é fundamental manter o cronograma de revisões em dia. 

O Mecânico deve fazer a sua parte

Apesar de ser da responsabilidade do motorista ficar atento aos sinais de desgaste, você, como mecânico profissional, deve contribuir. Você precisa mostrar para os seus clientes os impactos que a falta da manutenção provoca no trânsito, no desempenho do veículo e no bolso do condutor.

Afinal de contas, quando aceitamos a realidade dos fatos, o processo de conscientização tende a ser mais fácil e efetivo. Por isso, mostre para o seu público as consequências de ignorar os prazos de revisão e as vantagens de manter todas elas em dia. 

Considerando que a tecnologia tem contribuído cada vez mais para a criação e o desenvolvimento de sistemas de freio mais complexos e, sobretudo, eficientes, a ida ao mecânico tem se tornado ainda mais indispensável. Temos a necessidade de ter qualquer problema resolvido por um profissional especializado no assunto.

A manutenção preventida ainda é a melhor soluçao

Nesse caso, realizar as manutenções preventivas de freios automotivos é a melhor solução, visto que elas permitem reparar pequenas falhas que, quando ignoradas, podem causar prejuízos ainda maiores. 

Sendo assim, indique a seus clientes como realizar um check-up sempre que forem pegar a estrada. Também indique manter uma rotina de revisões. Ela é crucial para evitar o surgimento de falhas mecânicas que coloquem em risco a segurança do motorista e demais passageiros.

Vale ressaltar que o sistema de freios é composto por um conjunto de componentes. Isso significa que, quando uma peça apresenta um problema, existe uma grande possibilidade de outras peças serem afetadas também. Então, quanto mais cedo uma falha for corrigida, melhor.

Como fazer a manutenção de freios automotivos?

Como mencionamos, o sistema de freio é composto por um conjunto de componentes que precisam atuar em sincronia para garantir uma frenagem eficiente. Sendo assim, as principais peças são:

  • pedal: é a única peça que tem contato com o motorista. O condutor consegue acionar o sistema de frenagem ao pressioná-la;
  • servo freio: quando se pisa o pedal, é gerada uma força, que é distribuída para os demais componentes do sistema. Para que ocorra a desaceleração do veículo, porém, é necessário que essa força seja multiplicada, e é nesse momento que o servo freio entra em ação, pois sua função é ampliar a força que foi gerada pelo pedal;
  • fluido de freio: além de servir como lubrificante do sistema de frenagem, tem a função de transmitir a pressão exercida sobre o pedal para as pastilhas e sapatas;
  • cilindro mestre: para que o fluido de freio cumpra com o seu objetivo, deve ser conduzido pelo cilindro mestre até os pistões das pinças ou tambores de freio. Como essa ação é feita com alta pressão, é possível gerar a força necessária para parar o veículo;
  • mangueiras e canos: servem de conexão entre uma peça e outra. Além disso, têm a capacidade de suportar as altas pressões do fluido de freio;
  • pastilhas e lonas: são peças de fricção cuja função é provocar a desaceleração das rodas do veículo. Por causa disso, se desgastam de forma relativamente rápida. É preciso estar atento aos tipos de pastilha, para não instalar uma que seja inadequada para o veículo em questão;
  • discos e tambores: têm a função de receber o atrito causado pelas pastilhas e lonas.

Fique atento a estes sinais

Todas essas peças precisam atuar em sincronia para que a frenagem do veículo funcione de forma eficiente. Quando há um problema com alguma delas, os sinais emitidos pelo veículo são os seguintes:

  • trepidação: durante o processo de frenagem, o motorista percebe que o volante está trepidando. Em geral, esse sintoma ocorre quando o disco de freio está empenado e é um forte indicativo de que a manutenção do freio automotivo deve ocorrer o mais rapidamente possível;
  • frenagem longa: quando há problemas com o servo freio, o sinal enviado pelo carro é o endurecimento do pedal. Se o condutor notar que é preciso aplicar uma força maior para frear, deve levar o veículo até sua oficina para uma avaliação;
  • pedal baixo: outro indicativo de que há problemas com o servo freio ou falta de fluido é quando o pedal está muito baixo, quase encostando no assoalho;
  • presença de ruídos metálicos: quando um dos componentes de fricção está desgastado, é perceptível a presença de ruídos metálicos vindo das rodas todas as vezes que o freio é acionado. Nesse caso, a solução consiste em verificar o estado de conservação das pastilhas e disco e realizar a troca;
  • luzes no painel: muitos motoristas ignoram as luzes de alerta no painel. Esse erro, porém, pode resultar em prejuízos altos, uma vez que essas luzes acendem para indicar que algo não vai bem no sistema.

Esses sinais costumam ser os mais comuns, por isso, tanto o motorista quanto o mecânico devem estar cientes do que cada um deles representa. Como profissional, fica sob a sua responsabilidade realizar os seguintes procedimentos.

Substituir o fluido

O fluido de freio tem a capacidade de absorver a umidade do ambiente. Como a entrada de ar no sistema é inevitável, com o passar do tempo, o fluido perde a sua viscosidade e assume um aspecto mais diluído. Além disso, por exigir uma temperatura de ebulição maior que a da água, é normal que surjam bolhas de vapor mais elásticas, que atrapalham o processo de frenagem.

Para evitar problemas maiores, a troca do fluido de freio deve ser feita a cada 10 mil quilômetros. Quando for fazer esse serviço, lembre-se de que é preciso retirar todo o conteúdo velho antes de colocar o produto novo. Além disso, em caso de dúvidas, o ideal é consultar o manual do fabricante, que contém todas as informações sobre o prazo correto de troca e o tipo de fluido que deve ser utilizado.

Revisar e trocar os itens de fricção

Os componentes de fricção, como pastilhas e lonas, costumam desgastar mais rapidamente. Por isso, devem ser revisados com frequência ou assim que se notar algum sinal de desgaste. De forma geral, a recomendação é de que esses componentes sejam revisados a cada 10 mil quilômetros.

No entanto, dependendo da frequência com que o veículo é utilizado e as condições a que ele é submetido, essa regra não se aplica, pois o desgaste da peça vai ocorrer antes do tempo. 

Assim, o ideal é conferir as orientações do próprio fabricante. Além disso, os componentes de fricção contêm marcadores de desgaste. Portanto, é possível saber o momento de trocar a peça ao observar a marcação. 

Quanto ao processo de retificação, só vale a pena fazer quando a superfície do disco estiver irregular. Caso a espessura da peça esteja próxima do limite ou apresente trincas, é necessário trocá-la.

Essa dica também vale para os veículos com freio a tambor, pois eles contêm um limite seguro de espessura que deve ser mantido. Então, observe a marcação ou se há presença de avarias na superfície do tambor para realizar a manutenção do freio automotivo.

Fazer a limpeza do sistema

Com o tempo, é normal que uma sujeira se acumule, dificultando a passagem do fluido e contribuindo para a sua contaminação. Por isso, realizar a limpeza frequente do sistema é fundamental para preservar as peças. Esse processo deve ser feito sempre que o fluido de freio for ser trocado, para evitar a contaminação do novo produto. 

Além disso, a higienização dos discos e tambores deve ser feita sempre que as pastilhas de freio ou sapatas forem trocadas.

Conferir o cilindro mestre

Quando a troca do fluido não é feita de forma correta, pode provocar a corrosão interna do cilindro mestre, por causa da umidade. Em casos assim, dependendo do estado de desgaste, o reparo consiste em trocar toda a peça.

Verificar se há vazamentos

Normalmente, é fácil notar a presença de vazamentos na tubulação ou nos cilindros, pois basta fazer uma inspeção visual para identificar pequenas poças no chão. Caso esse problema seja detectado, deve-se fazer uma análise para saber se será necessário trocar as juntas, os anéis ou os tubos inteiros.

Escanear o módulo do ABS

Para os veículos que utilizam freio ABS, é preciso fazer um escaneamento do módulo para certificar-se de que o sistema de freio permanece funcionando corretamente. Durante esse processo, é necessário verificar o status atual do sistema e o seu histórico de falhas.

Vale ressaltar que, durante a manutenção de freios automotivos, caso seja necessário trocar um componente, aconselhamos que você opte por peças originais. Isso, porque as paralelas podem apresentar um custo mais baixo, mas, com o tempo, costumam causar prejuízos ao sistema. 

Quais ferramentas e equipamentos devem ser utilizadas nessa manutenção?

As ferramentas são as melhores companheiras do mecânico. Afinal de contas, é por meio delas que você garante o sucesso do seu serviço. Sendo assim, seja para realizar a manutenção dos freios ou solucionar outro problema, em uma mecânica, não podem faltar os seguintes equipamentos.

Ferramentas manuais

  • alicates: é importante investir em modelos de bico reto e universais;
  • chaves de fenda: tenha chaves de fenda de tamanhos variados;
  • chaves Philips: ideais para torque em parafusos de cabeça em cruz. Além desse modelo de chave, é fundamental ter por perto outros tipos, como em L, torx, de boca, estrela, de soquete, de roda e hexagonal.

Instrumentos de medida

  • Para medidas dimensionadas: paquímetro e micrômetro;
  • para medidas elétricas: multímetro e alicate amperímetro;
  • para medidas mecânicas: torquímetros de estalo, dinâmico e eletrônico e um manômetro.

Ferramentas hidráulicas

Utilizadas para transformar uma pequena força em uma maior, as ferramentas hidráulicas são as seguintes:

  • macaco hidráulico: tenha mais de um modelo à sua disposição;
  • elevador hidráulico: muito mais eficiente que um eletromecânico;
  • guincho hidráulico;
  • scanner automotivo.

Além dessas ferramentas, podemos acrescentar:

  • a bancada para os mecânicos manusearem as peças menores;
  • uma morsa (ou torno) para que seja possível prender a placa na bancada quando o serviço exige que o trabalho seja feito diretamente na carroceria do veículo;
  • alinhador de direção;
  • duplicador de vagas.

Qual é a importância de contar com equipamentos de qualidade para fazer essa manutenção?

Como vimos no tópico anterior, a utilização das ferramentas certas é fundamental para realizar com excelência qualquer tipo de serviço que chegue até você. O resultado disso é, sem dúvidas, a possibilidade de obter a maior satisfação do cliente e aumentar a margem de lucros da empresa. 

Outra vantagem de equipar a sua empresa com ferramentas de qualidade é a otimização do tempo de serviço. Com a ajuda de equipamentos novos e modernos, fica mais fácil concluir o serviço em prazos menores. Logo, é possível atender um número maior de clientes sem afetar a excelência das entregas. Além de ser um grande diferencial para a empresa, dispor dessa capacidade faz com que sua marca seja mais bem reconhecida no mercado.

Vale ressaltar que a segurança da sua equipe também é garantida quando se tem equipamentos de qualidade. É importante lembrar que a busca por bons materiais não se limita apenas às ferramentas de trabalho, pois tanto os produtos quanto às peças que são disponibilizados para os clientes devem seguir o mesmo padrão. 

O seu cliente percebe quando você entrega o melhor serviço

Embora muitos gestores de oficina tenham a ideia de que oferecer para os clientes peças e serviços com preço mais baixo vai garantir a fidelização, na realidade, esse pensamento não se sustenta por muito tempo, pois o cliente logo percebe as desvantagens de investir em um serviço de baixa qualidade.

No entanto, se você se dispõe a oferecer um bom serviço desde o início, não só contribui para que o cliente tenha uma boa primeira experiência com a marca. Também, ajuda a empresa a reduzir as chances de obter prejuízos a médio e longo prazo.

Afinal, quando o condutor volta até a oficina para refazer um trabalho de baixa qualidade, você tem gastos desnecessários com a troca das peças e a mão de obra e deixa o cliente insatisfeito. Dependendo do nível de frustração do consumidor, ele pode fazer um marketing boca a boca bastante negativo, prejudicando a imagem da sua oficina no mercado.

Por esses motivos, fica clara a importância de prezar por equipamentos de qualidade. Para isso, aconselhamos que você procure fornecedores que tenham boa reputação e tradição. No momento de fechar parceria, também verifique se o escolhido disponibiliza suporte de fábrica, garantia dos produtos e nota fiscal.

Quais as melhores dicas para fazer a manutenção de freios automotivos?

Quem trabalha diretamente com mecânica e está sempre em busca de aperfeiçoar seus conhecimentos na área não tem dificuldades de finalizar determinados serviços. 

Em relação à manutenção de freios automotivos, por exemplo, o processo fica ainda mais fácil quando se tem à disposição as peças e ferramentas certas para realizar o serviço. Sendo assim, no momento de revisar o sistema de frenagem, você deve atentar para os seguintes pontos:

  • verifique se as peças de fricção estão desgastadas;
  • troque o fluido de freio;
  • observe se há vazamentos;
  • limpe a sujeira acumulada no sistema.

Caso o cliente questione sobre a possibilidade de retificar o disco de freio, explique para ele que esse processo só é indicado quando a superfície está irregular. Quando a peça apresenta desgaste excessivo ou trincas, porém, o melhor é fazer a substituição.

Tambor ou disco de freio?

Outro questionamento comum nas oficinas diz respeito à troca do tambor de freio pelo disco de freio. A maioria dos veículos utiliza o sistema de freio a tambor apenas nas rodas traseiras, já que 30% da força de frenagem vem delas. Embora, os freios a disco sejam conhecidos pela eficiência, os a tambor também dão conta do recado quando o veículo precisa parar.

Apesar de ser possível fazer a troca, a complexidade do trabalho é alta, assim como o custo. Isso, porque a dinâmica do veículo não muda muito. Ainda, com certeza, haverá dificuldades de vender o carro no futuro. Ou seja, as vantagens de fazer a troca são muito pequenas quando comparadas com os pontos negativos, mesmo que esse procedimento seja frequentemente adotado em carros de competição.

Quais cuidados devem ser tomados ao fazer a manutenção?

Todo gestor tem como objetivo fazer com que sua empresa alcance o sucesso, não é mesmo? Pode parecer pouco, mas um dos grandes segredos para atrair clientes e se tornar uma referência no segmento em que você atua é inserir detalhes de valor nas entregas. 

Essa postura pode fazer toda a diferença na percepção que o seu público tem sobre a sua marca. Sendo assim, sempre que for prestar algum serviço, tenha o cuidado de:

  • utilizar apenas peças de qualidade;
  • otimizar o tempo de entrega do veículo;
  • oferecer um atendimento personalizado;
  • dispor de um suporte pós-atendimento para o seu cliente;
  • prestar um serviço eficiente;
  • buscar constantemente a satisfação do público-alvo.

Por que contar com os produtos da Fremax e da Fras-le?

Você conhece os produtos da Fremax e da Fras-le? Ambas as marcas fazem parte do grupo das Empresas Randon e se tornaram uma referência no segmento de peças automotivas. 

Presente no mercado desde 1954, a Fras-le está presente em mais de 100 países. Já a Fremax é uma fabricante de autopeças premium com mais de 30 anos de experiência e que se tornou conhecida pela qualidade e segurança de seus produtos.

Atualmente a Fras-le e a Fremax fazem parte das Empresas Randon. Para o grupo as pessoas estão acima de qualquer prioridade material. Por isso, elas buscam formas de garantir que a saúde e segurança de seus colaboradores sejam mantidas a qualquer custo. 

Preocupação com os clientes

Essa preocupação também se estende para os clientes. Neste caso, ambas as marcas têm como objetivo desenvolver produtos inovadores de grande qualidade e com tecnologia de ponta. Produtos capazes de aumentar a segurança dos veículos e melhorar os resultados de manutenção de freios automotivos que você realiza. 

Esses motivos são suficientes para que você passe a confiar nos produtos da Fremax e Fras-le. Afinal de contas, sabemos bem que, para que seu trabalho seja reconhecido no mercado, é preciso ter diferenciais competitivos. E a escolha dos seus fornecedores tem um reflexo importante nisso. 

Isso, porque, ao constatar a maior durabilidade, eficiência e economia, o cliente facilmente percebe as vantagens de investir nos serviços de qualidade que você oferece. Portanto, conscientizar seus clientes sobre a importância da realizar a manutenção de freios automotivos é fundamental por motivos como segurança e economia. 

Busque formas de mostrar para os seus consumidores as consequências de negligenciar as revisões e os motivos pelos quais eles precisam levar esse assunto tão a sério.

Gostou do artigo e quer saber mais sobre o segmento automobilístico? Então, assine a nossa newsletter para acompanhar tudo!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.