Quais são as peças do carro que precisam ser trocadas com o uso?

Todas as peças do carro têm um tempo de vida útil já determinado pelo fabricante. No entanto, existem alguns fatores que influenciam no desgaste precoce, como:

  • a falta de manutenção;
  • a maneira como o motorista conduz o veículo — o ideal é adotar uma condução defensiva e proativa. Além de ser mais segura, ajuda na conservação do veículo;
  • utilizar a marcha de forma incorreta;
  • não calibrar os pneus com a pressão indicada pelo fabricante;
  • não respeitar os prazos de troca do óleo lubrificante.

Esses são alguns dos muitos fatores que afetam a durabilidade e conservação da peça. Além de aumentar os gastos com substituição e idas ao mecânico, esse descuido compromete a sua segurança e a dos demais condutores.

Por isso, é muito importante adotar medidas que prolonguem o tempo de vida útil do veículo, mantendo o seu desempenho e proporcionando mais segurança. Diante disso, reunimos neste artigo as principais peças automotivas que precisam ser trocadas ao longo do tempo para você ficar de olho. Acompanhe a leitura.

Conjunto de embreagem

O tempo de vida útil do sistema de embreagem varia entre 10 mil a 100 mil km. Nesse caso, os fatores que determinam a durabilidade do conjunto tem relação com:

  • a frequência que o condutor utiliza a marcha;
  • a qualidade dos componentes que compõem a embreagem;
  • hábitos errados do motorista, como manter o pé pressionando o pedal constantemente, exagerar na rotação do carro no momento de arrancar, utilizar a embreagem para manter o veículo parado em subidas.

Todos esses fatores reduzem o tempo de vida útil do conjunto de embreagem. Então, o primeiro passo para conservar essas peças do carro por mais tempo é repensar seus hábitos com o objetivo de adotar uma nova postura no volante. Feito isso, você deve atentar aos prazos de manutenção do disco de rolamento, platô e atuador hidráulico.

Caso seja percebido sinais como trepidação, dificuldade para engatar ou pedal duro procure uma oficina, pois esses são fortes indicativos de que algo não vai bem e precisa ser revisado para não tomar proporções maiores.

Pneus

Os pneus são os únicos componentes do veículo que têm contato diretamente com o solo. Por esse motivo, fica claro que a substituição deve ser feita sempre que perceber sinais de desgaste. Para saber o tempo de validade do jogo de pneus basta conferir a sequência numérica que existe na parte lateral do pneu. Normalmente, a validade é de 5 anos e deve ser respeitada mesmo que o pneu esteja aparentemente conservado.

Isso porque o pneu é feito com um material que após esse período de cinco anos perde a resistência. Então, mesmo que você não veja sinais de rachadura ou desgaste dos sulcos, trafegar com o pneu vencido pode resultar em acidentes, uma vez que o material já não cumpre mais suas funções com total eficiência.

Qualidade dos pneus

Sendo assim, além de atentar ao prazo de validade é muito importante que você priorize pneus de qualidade que sejam específicos para o modelo do seu carro. Para mantê-los conservados durante a sua vida útil é ideal realizar a cada 10 mil km o rodízio, que nada mais é que fazer a troca das posições dos pneus, ou seja, os que estavam no eixo dianteiro vão para o traseiro e vice-versa.

Além disso, é necessário atentar para a medida de pressão de ar indicada pelo fabricante, pois trafegar com pneus com a calibragem errada tem como consequência o aumento do consumo de combustível e a aceleração do desgaste dos pneus.

Por fim, manter os pneus bem-nivelados também é essencial para a sua conservação. Para saber se estão desnivelados basta observar se em linha reta o carro tenciona para um dos lados sem a influência do condutor. Caso isso aconteça é necessário comparecer à oficina para fazer o nivelamento e balanceamento das rodas

Correia dentada

Com um tempo de vida útil entre 50 mil km a 3 anos, a correia dentada não costuma apresentar sinais de desgastes. Nesse caso, o condutor precisa verificar o estado da peça a cada 10 mil km rodados ou realizar a troca a cada 50 mil km.

Obviamente, esses números servem apenas como parâmetro para você ter um norte, porém a sua realidade e a forma como o seu carro é utilizado é que vai determinar o período certo de fazer a substituição.

Lembrando que após o rompimento da correia o carro para de funcionar. Caso isso aconteça com o veículo em movimento, além de correr o risco de sofrer um acidente de trânsito, o rompimento da peça pode comprometer outros componentes do carro resultando em mais prejuízos. Então, fique atento aos prazos de troca da correia.

Amortecedores

Os amortecedores atuam em conjunto das rodas proporcionando mais estabilidade e aderência ao solo. Por isso, quando estão danificados, afetam o desempenho dos demais componentes e geram desconforto para quem está dentro do veículo, pois o carro balança mais que o normal, não absorvendo os impactos do solo.

Além disso, quando os amortecedores estão desgastados o tempo de frenagem é reduzido, logo, aumenta os riscos de ocorrer acidentes. Por isso, a cada 1000 km rodados (ou sempre que notar vazamento de óleo) deve ser feita a substituição da peça.

Pastilhas e disco de freio

Tanto as pastilhas quanto os discos de freio são peças do carro que estão diretamente ligadas à segurança do veículo, logo, necessitam de uma atenção maior para evitar os riscos de acidentes ao ter o sistema de freio comprometido.

Assim como os demais componentes, o desgaste dessas peças vai depender bastante da maneira como você utiliza o seu veículo. Por isso, é muito importante conversar com o seu mecânico e montar um cronograma de revisão específico para a sua realidade.

Porém, como via de regra os fabricantes orientam que a troca das pastilhas seja feita a cada 20 mil a 30 mil km rodados, enquanto os discos a cada 40 mil km. Vale ressaltar que, quando necessitam ser trocadas, ambas as peças emitem sinais claros, como trepidação e ruídos durante a frenagem. Então, fique atento.

Portanto, essas são as principais peças do carro que necessitam ser trocadas periodicamente. Vale deixar claro que seguir com um cronograma de manutenção, de preferência a preventiva, faz toda a diferença na conservação e durabilidade dos componentes automotivos. Além de proporcionar mais segurança e economia para o seu bolso.

Gostou do artigo? Então, assine a nossa newsletter.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.