Para o Motorista

Revisão veicular: veja o que um mecânico tem a dizer sobre o assunto

revisão veicular

Felizmente, cada vez mais motoristas atentam para a importância de fazer manutenções periódicas no carro. Essa é uma prática fundamental para dirigir com segurança e ficar longe de muitas complicações. É isso mesmo: a revisão veicular é uma forma de garantir uma condução tranquila.

Pensando nisso, resolvemos conversar com um especialista em mecânica para explicar melhor a importância dessa prática e a necessidade de fazê-la de tempos em tempos. Leia até o fim para entender mais sobre o assunto!

Afinal, qual é a real importância da revisão veicular?

Para produzir este conteúdo, entrevistamos Fábio da Silveira. Ele é sócio-proprietário da Freios Presidente e tem bastante experiência no assunto. De acordo com ele, “a revisão veicular é essencial. Eu recomendo fazer uma a cada 10 mil quilômetros rodados ou uma vez por ano”.

Tomar essa precaução é imprescindível mesmo que o carro não pareça ter um reparo imediato a ser feito, ok? Lembre-se de que algumas manutenções são sempre válidas, mesmo que sejam quase invisíveis. “Trocar o líquido do freio é uma delas, visto que se trata de uma substância que absorve água e pode se comportar de forma diferente dependendo das variações climáticas. A umidade do ar provoca falhas no cilindro e na parte hidráulica do freio”, explica.

Para entender melhor a relevância dessa prática, pense na saúde humana. Muitas vezes, nossos corpos enfrentam problemas que não são nada aparentes! Imagine quantas pessoas vivem achando que estão com a saúde em perfeito estado. Entretanto, depois de irem ao médico e fazerem alguns exames, descobrem que precisam mudar algo na alimentação ou iniciar um tratamento. Esperar demais pode levar a complicações bem mais graves.

As revisões automotivas têm uma lógica parecida, pois ajudam a diagnosticar eventuais complicações no motor, falhas nos itens de segurança e assim por diante. Além disso, elas também cumprem a importante missão de prevenir que algum componente do veículo quebre, sendo preciso gastar ainda mais com o conserto. Ninguém deseja passar por uma situação dessas, certo?

Se você pretende tirar férias com a família, por exemplo, não seria nada agradável interromper o passeio só para ir até uma oficina, não concorda? Por essas e outras, o melhor a fazer é sempre tomar os cuidados necessários com antecedência.

O que exatamente precisa ser revisto?

Antes de fazer uma revisão, vale a pena elaborar uma checklist com os principais itens. Se você conseguir se lembrar da última vez que foram revistos, melhor ainda! Em geral, estas são as partes que não podem ficar de fora das inspeções veiculares:

Por que revisar esses itens?

Os pneus, por exemplo, são indispensáveis para garantir uma direção ao mesmo tempo segura e confortável. Se estiverem carecas, o automóvel perderá a aderência ao chão e a condução deixará de ser estável. Em períodos de chuva, o risco de acidentes fica ainda maior.

Seja na estrada, seja na cidade, enfrentar uma pane no sistema de frenagem também é muito arriscado. O nível do fluido e o estado das pastilhas precisam ser checados, assim como a regulagem do freio de mão. Sabe aquele barulho incômodo que às vezes aparece ao frear? É sinal de que está na hora de dar uma olhada.

A espessura do disco de freio também exige cuidados. Segundo Fábio, “o mecânico competente vai dar uma volta com o carro a fim de ouvir possíveis ruídos e analisar a eficiência da frenagem”. Como alguns motoristas acabam se acostumando a conviver com pequenos danos no veículo, quando pegam a estrada precisam vivenciar situações não recorrentes em suas rotinas ao dirigir na cidade. “Na estrada, a velocidade é maior e o freio tem que funcionar perfeitamente”, justifica.

Quanto à suspensão, é necessário levar o automóvel a uma rampa de geometria para conferir as folgas e o barulho do amortecedor. “A quilometragem para revisar cada peça é indicada pelo fabricante, mas vale a pena realizar o procedimento anualmente, com profissionais qualificados. Paralelamente a isso, é interessante fazer uma manutenção por conta própria sempre que possível”, recomenda Fábio.

Como escolher a empresa ou o profissional certo?

Para várias pessoas, a relação de confiança estabelecida com a oficina é o melhor termômetro para tomar essa decisão. O detalhe é que nem todo mundo tem a sorte de encontrar profissionais realmente gabaritados, que cobrem um preço justo pelo serviço e executem uma boa revisão veicular. Há inclusive quem deixe de fazer manutenções por conta da desconfiança, sabia?

Nesse contexto, Fábio faz uma importante consideração: “um mecânico não pode entender apenas de carros. Ele precisa conhecer a tecnologia por trás do automóvel, porque os carros são cada vez mais elétricos”. Em outras palavras, podemos dizer que o profissional que mantém antigos procedimentos e confia apenas em sua experiência pode encontrar dificuldades para trabalhar com os modelos modernos. A falta de atualização também pode prejudicar o aproveitamento dos recursos digitais disponíveis hoje em dia. Como, por exemplo, os scanners, que contribuem bastante para encontrar soluções para os problemas apresentados.

É melhor fazer a revisão na oficina ou na concessionária?

A manutenção preventiva pode ser feita em diferentes estabelecimentos, como oficinas e concessionárias. Mas como saber qual escolher? Será que existe mesmo uma opção mais adequada? De acordo com nosso especialista, a melhor saída é encontrar uma boa oficina. “Procure uma empresa com tempo significativo de atuação, confira o histórico, verifique o perfil e veja as avaliações feitas por outros clientes nas redes sociais e/ou no Google”, indica.

Como você pôde ver aqui, não há dúvidas de que a revisão veicular é uma prática de suma importância para que você consiga dirigir seu carro sem maiores preocupações. Então não deixe de fazê-la na periodicidade adequada e tenha atenção ao funcionamento de todos os componentes, combinado?

Se você gostou do conteúdo, aproveite para entender melhor quando é o momento de fazer a manutenção no veículo!