Para o caminhoneiro

Guia completo: saiba tudo sobre manutenção de caminhão

manutenção de caminhão

Você tem cumprido o calendário de manutenção do seu caminhão? Quem é caminhoneiro (ou motorista) sabe da importância que o veículo tem para a execução de um trabalho. No entanto, muitos desses profissionais negligenciam os prazos de revisão e, por isso, acabam ficando na mão quando mais precisam.

Considerando que o transporte de carga é a principal fonte de renda da maioria desses profissionais, fica claro que deixar o veículo parado por causa de problemas mecânicos ou apreensão fiscal é um grande prejuízo para o caminhoneiro. Além disso, as condições das estradas e rodovias brasileiras comprometem (e muito) o bom funcionamento do caminhão, aumentando as chances de acidentes.

Diante dessa realidade, fica fácil perceber que a manutenção é a única forma de prevenir que todos esses problemas aconteçam. Por esse motivo, preparamos este guia com tudo o que você precisa saber para aumentar a vida útil do seu caminhão. Também apresentamos dicas que garantirão seu bom funcionamento e ajudarão a evitar prejuízos.

Ficou curioso e quer saber tudo sobre manutenção de caminhão? Então, acompanhe a leitura!

Importância da manutenção de caminhão

Realizar as manutenções no período certo proporciona uma série de benefícios para o caminhoneiro. Podemos começar mencionando a redução significativa dos gastos, seja de forma direta ou indireta.

Prova disso é a pesquisa feita pelo Instituto da Qualidade Automotiva (IQA), na qual constatou que realizar revisões de prevenção pode ser até 40% mais econômico que gastar consertando falhas evitáveis.

Ainda, o caminhoneiro pode ter seu caminhão apreendido ao trafegar com o veículo em condições precárias. Isso, porque o Código de Trânsito Brasileiro considera como infração grave utilizar o veículo em mau estado de conservação. E os prejuízos não param por aí. Além da apreensão do veículo, essa infração rende multa ao caminhoneiro e pontos na carteira de habilitação. Desnecessário, não acha?

Contudo, ainda existem outras penalidades. Isso porque, na ocorrência de qualquer uma dessas situações, o caminhoneiro precisa considerar a perda de capital pelos dias parados, comprometimento do frete e a consequente insatisfação dos clientes, que podem não querer voltar a fazer negócio com esse profissional. Mais difíceis de determinar, esses prejuízos costumam ser mais altos que os custos diretos.

Manutenção do caminhão como forma de proteção da vida

O que vimos até agora foram os impactos financeiros. No entanto, ainda há o risco à própria vida e à vida das demais pessoas. Afinal, veículos com problemas no funcionamento estão mais propensos a se envolver em acidentes de trânsito.

Tanto é que levantamentos mostram que 30% dos acidentes de trânsito no Brasil, que matam cerca de 40 mil pessoas por ano, tem como causa principal a falta de manutenção.

Esse dado não inclui sequelas, que podem deixar o caminhoneiro inapto por um longo período. Além disso, não engloba os danos ao caminhão, que podem resultar em ainda mais prejuízos financeiros.

Diante disso, fica clara a importância de não ignorar os riscos, realizando manutenções preventivas dentro dos prazos corretos. Afinal, essa é uma forma eficaz de assegurar que o seu caminhão trafegue sempre em boas condições, o que reduzirá o número de paradas não planejadas e manterá todos os itens de segurança funcionando.

A verdade é que realizar as manutenções preventivas só proporciona vantagens para você e o seu caminhão, evitando que os problemas apareçam. Sendo assim, procure uma oficina que seja de sua confiança e peça para elaborarem um calendário de manutenção. No manual do fabricante também há informações importantes sobre as revisões.

Tipos de manutenção de caminhão

Já deixamos clara a importância de cuidar do seu caminhão. Mas você sabia que existem três tipos de manutenção automotiva? Para saber qual deles precisa fazer, é necessário entender a finalidade de cada uma. Confira!

Corretiva

Como o próprio nome indica, essa manutenção tem como função corrigir um problema ou falha que já foi identificado. Dessa forma, só é realizada quando há necessidade. Tendo em vista que seu objetivo é fazer o caminhão voltar a funcionar normalmente, os serviços prestados, geralmente, envolvem:

  • substituição de peças;
  • troca de óleo;
  • ajuste nos sistemas hidráulico, elétrico e mecânico.

Por ser mais cara do que a preventiva e a preditiva, essa não costuma ser considerada como a melhor solução. Apesar de todos os cuidados, porém, podem acontecer imprevistos como pneu furado, falhas no motor e vazamentos, entre tantos outros problemas.

É nesse momento que a manutenção corretiva se torna a principal saída. Afinal, ela garante que o seu veículo não fique parado por muito tempo e, assim, evita ainda mais prejuízos.

Apenas devemos ressaltar que, para não causar mais dor de cabeça, é necessário que o serviço prestado seja feito com bastante eficiência e agilidade, ok?

Vantagens da manutenção corretiva:
  • redução dos prejuízos: ao detectar o problema, a correção imediata é a única forma de evitar que apareçam maiores complicações, que resultam em mais prejuízos;
  • atividades não ficam paradas por muito tempo: muitas das vezes, um problema, por menor que seja, é capaz de atrapalhar a sua rotina e, consequentemente, causar a parada dos seus serviços. Uma manutenção corretiva de qualidade ajuda você a evitar que isso aconteça;
  • mais viável para a reposição de peças de baixo custo: um caminhão é composto tanto por peças caras quanto por aquelas mais baratas. Sendo assim, vale considerar fazer a troca dos componentes mais acessíveis durante a manutenção corretiva;
  • não exige planejamentos de longo prazo: considerando a possibilidade de que o problema tenha surgido de forma inesperada, a manutenção corretiva não faz uso de planejamentos, pois basta que o caminhoneiro saiba como serão feitos os reparos no seu veículo.

Preventiva

Baseado na ideia de que é melhor prevenir do que remediar, esse tipo de manutenção se torna a alternativa mais indicada para evitar a perda ou o desgaste do seu veículo. Além disso, é considera uma solução barata e eficiente. Mas, para que proporcione resultados satisfatórios, é preciso definir um calendário de revisões e segui-lo à risca.

Afinal, o objetivo principal da manutenção preventiva é realizar uma avaliação para identificar possíveis falhas que possam se tornar um grande problema. Dentro dessa lógica, com frequência, é feita a substituição de um componente antes mesmo dele apresentar sintomas de que algo não vai bem.

Diante disso, podemos citar como vantagens da manutenção preventiva:

Mais economia

Sem dúvida, essa é um dos principais benefícios da manutenção preventiva. Isso, porque deixar para fazer um reparo depois que a falha já foi identificada pode custar mais caro para o seu bolso.

Afinal, você corre o risco de precisar trocar outros componentes que foram afetados pelo problema inicial. Sem contar que, durante o período de negligência, poderá haver um consumo maior de combustível, já que o veículo não rodará em perfeitas condições.

Redução do tempo de conserto

Quando o caminhoneiro mantém uma rotina de manutenções, o tempo para realizar os reparos se torna cada vez menor. Isso, porque os serviços consistirão na substituição de uma peça com defeito, na troca de óleo e na vistoria dos sistemas mecânicos, hidráulico e elétrico.

Ao sempre monitorar o funcionamento do caminhão, as falhas serão identificadas ainda na fase inicial. Dessa forma, o mecânico consegue aplicar a solução mais viável para o problema, mantendo o veículo parado por pouco tempo na oficina.

Conformidade com a legislação

Como já mencionamos, o Código de Trânsito Brasileiro considera infração grave trafegar com o veículo em condições desfavoráveis. Sendo assim, a manutenção preventiva ajuda o profissional da estrada a obedecer à lei e não correr o risco de ser multado, receber pontos na carteira de habilitação ou ter o caminhão apreendido.

Além disso, ao trafegar com o veículo em bom estado você garante a sua segurança e dos demais usuários da via.

Por esses motivos, levar as manutenções a sério é um dever de todo condutor, sendo uma responsabilidade que o motorista tem para garantir a segurança do trânsito.

Preditiva

A manutenção preditiva é vista como uma solução mais eficiente, pois visa antecipar o surgimento de uma falha e buscar uma forma de evitar que ela aconteça. Porém, para que tenha o resultado esperado, é preciso manter um controle ainda maior.

Você deve estar se perguntando como prever um problema. Pois bem, a manutenção preditiva faz uso de equipamentos específicos de medição, os quais conseguem precisar quando um componente apresentará falhas. Por meio deles, é possível prevenir problemas graves, que resultariam em prejuízos consideráveis.

Pontos a serem analisados na manutenção do caminhão

É fato que a mecânica de um caminhão é mais complexa que a de um carro de passeio. Por isso, ressaltamos que o ideal é que as manutenções sejam feitas por mecânicos especializados em veículos pesados, como em concessionárias. Isso, porque elas utilizam peças originais, o que garante a maior qualidade e durabilidade do trabalho.

No entanto, existem algumas boas práticas e recomendações que o caminhoneiro ou motorista pode (e deve) inserir na sua rotina. Essas medidas consistem em observar o funcionamento do veículo, a fim de identificar alguma alteração que precise ser realizada. Abaixo, listamos os componentes a que você deve ficar mais atento para manter a manutenção do seu caminhão em dia. Confira!

Óleo do motor

O óleo do motor é essencial para garantir o bom funcionamento do veículo. Afinal de contas, tem como função:

  • lubrificar as partes móveis do motor, para reduzir o atrito e evitar o desgaste das peças;
  • manter o motor limpo das impurezas que são geradas durante a combustão;
  • controlar a temperatura;
  • proteger o motor de agentes corrosivos;
  • impedir a contaminação por elementos externos.

Devido à importância que o óleo tem para a mecânica do caminhão, fica claro que esse é um dos principais componentes a serem verificados. Para isso, sempre observe se, quando o caminhão está parado, é formada uma poça dessa substância no chão. Esse é um indicativo claro de que algo não vai bem.

Quando o nível do óleo se encontra abaixo do permitido, as consequências são:

  • o desgaste acelerado das peças;
  • a elevação da temperatura;
  • aumento do atrito entre as partes.

Tendo em vista que o óleo é essencial para garantir a durabilidade das peças e, sobretudo, manter o motor funcionando, é muito importante que você faça a troca desse componente dentro dos prazos recomendados.

Tipos de óleo lubrificante

Para saber qual óleo deve ser usado no seu caminhão, é preciso conferir o manual do fabricante. Nele, você encontrará informações sobre o tipo e de quanto em quanto tempo deverão ser realizadas as trocas, bem como a quilometragem máxima permitida até esse momento.

Vale ressaltar que negligenciar as orientações do fabricante só trará consequências negativas para o seu caminhão — e, especialmente, para o seu bolso. Por isso, não deixe de realizar a troca do óleo nos períodos corretos e sempre verifique se há vazamentos.

Freios

Outro componente que não pode, em hipótese alguma, ser negligenciado é o sistema de freios. Isso, porque envolve a segurança de todos que trafegam pela rodovia.

Não há dúvidas de que as manutenções preventivas são primordiais para identificar as chances de falhas e realizar o ajuste antes de que um prejuízo maior seja causado.

Em boa parte dos caminhões e outros veículos pesados, é utilizado o sistema pneumático. Por isso, contêm válvulas, pinças de freio e um compressor.

Nesse caso, é importante que você sempre verifique a pressão no manômetro, o estado de conservação do compressor e, sobretudo, se há vazamentos de ar e mangueiras ressecadas. Além disso, com frequência, é preciso realizar a secagem da água originária da compressão de ar, pois ela pode danificar as válvulas.

As pastilhas, lonas de freio e tambores também são peças fundamentais para a frenagem do veículo. Por isso, a manutenção deve ser feita sempre que for detectado o desgaste de um desses itens.

Suspensão

Com um funcionamento diferente de um carro de passeio, a suspensão de um caminhão é composta por um feixe de lâminas. Sua principal função é absorver os impactos, de maneira que o pneu fique sempre em contato com o solo. Essa ação é responsável por garantir a estabilidade constante do veículo.

Na prática, o sistema funciona de forma bastante simples. Quando o caminhão passa por um buraco ou desnivelamento, os feixes absorvem o impacto, garantindo, assim, mais estabilidade e menos vibrações.

Por esse motivo, os cuidados com a suspensão do caminhão devem ser levados muito a sério pelo caminhoneiro. Afinal de contas, além de ser um componente indispensável para a sua segurança, a suspensão proporciona conforto durante as viagens, resultando na redução significativa do desgaste físico.

Outro ponto a se considerar são as más condições das estradas brasileiras. Por causa delas, dispor de um bom sistema de suspensão faz toda a diferença para a longevidade do veículo.

Para assegurar a eficiência constante do sistema de suspensão, é preciso inserir alguns hábitos importante na sua rotina. São eles:

  • fazer a checagem frequente de todos os componentes da suspensão do caminhão;
  • manter os amortecedores sempre lubrificados;
  • não ultrapassar o limite de carga do caminhão;
  • calibrar os pneus com frequência;
  • investir em peças originais;
  • alinhar o caminhão.

Escapamento

O escapamento nada mais é do que o sistema de exaustão. Sua função é filtrar as emissões de gases e reduzir o barulho gerado pelo motor. Acontece que a maioria dos motoristas não dá a devida atenção para o escapamento do veículo, e, quando percebem, o problema já aconteceu. Por esse motivo, deve sempre ser considerada a sua verificação durante a manutenção do caminhão.

Normalmente, o barulho alto, a presença de fumaça saindo do escapamento ou quando ele está “solto”, quase encostando no chão, são os indicativos de urgência. Melhor não chegar a esse ponto, né?

Para evitar essa situação, saiba que o principal vilão desse sistema é a oxidação. Isso, porque, quando ocorre a combustão, é liberada uma água, que contribui para a deterioração da peça. Outro fator que favorece a ferrugem é a utilização de combustíveis de baixa qualidade.

O ideal, portanto, é manter a revisão em dia. O serviço deve ser realizado por um profissional qualificado, que entenda bem sobre a mecânica de veículos pesados. Isso significa que você não deve tentar resolver o problema por conta própria, pois pode aumentar o prejuízo.

Sistema elétrico

Já aconteceu de você girar a chave na ignição e o caminhão não ligar? E de as luzes do painel ou farol queimarem com frequência? Esses problemas são causados por falhas no sistema elétrico. Para fugir de uma pane geral, é essencial que você fique atento à parte elétrica do veículo e tome certos cuidados, para não ficar na mão.

Alguns exemplos são:

  • antes de dar a partida, desligue todos os periféricos;
  • aguarde até 10 segundos para dar a partida;
  • em modelos bicombustíveis, é recomendado deixar o reservatório de partida a frio sempre abastecido;
  • quando o motor estiver desligado, não deixe o sistema elétrico ativo por muito tempo;
  • ao instalar itens como faróis de LED ou neblina, leia as recomendações com atenção. Além disso, solicite os serviços de profissionais competentes, que tenham boa reputação no mercado e sejam de confiança;
  • troque a bateria no tempo certo;
  • caso alguma lâmpada queime, faça a troca imediatamente, para evitar que os circuitos fiquem abertos.

Bateria

Devido ao alto consumo de energia, tanto os caminhões quanto os veículos pesados são mantidos em funcionamento com o auxílio de duas baterias. Quando esse componente já está no fim da sua vida útil ou apenas descarregado, o caminhoneiro se depara com alguns problemas que podem atrapalhar a sua produtividade.

Por esse motivo, é essencial ficar atento aos sinais que indicam a hora certa de trocar a bateria:

  • luzes e faróis fracos;
  • motor perdendo força;
  • dificuldade para dar partida no veículo;
  • falha no funcionamento de aparelhos eletrônicos;
  • luz de aviso específico ligada no painel.

A durabilidade da bateria depende muito da frequência com que o caminhão é usado, além de fatores como a instalação de acessos eletrônicos e a regularidade de realização das revisões.

Pneus

Para garantir o melhor desempenho do caminhão na estrada, é preciso que os pneus estejam sempre bem calibrados e sem a presença de avarias, como bolhas, trincas e rasgos. Além disso, deve-se verificar a profundidade dos sulcos, a fim de evitar a aquaplanagem.

O balanceamento e o nivelamento dos pneus também devem ser

,feitos sempre que alguma diferença na direção for notada. Um dos indicativos de que as rodas estão desniveladas é quando o caminhão, em linha reta, pende para um dos lados sem a interferência do condutor. Ao notar esse sinal, não hesite de levar o veículo para uma oficina.

A frequência ideal de manutenção do caminhão

O caminhão é a sua principal ferramenta de trabalho. Para manter a renda e evitar dores de cabeça com possíveis prejuízos, portanto, é importante que você invista nele. Tendo isso em mente, as manutenções devem ser feita com frequência. O tempo certo, porém, é estabelecido conforme a sua necessidade e rotina.

Sendo assim, o ideal é que você converse com o seu mecânico de confiança e monte um cronograma de manutenções baseado no seu modelo de caminhão e na frequência com que ele é utilizado. O próximo passo consiste em seguir o cronograma à risca, de modo a garantir o bom funcionamento e evitar gastos desnecessários.

O planejamento da manutenção do seu caminhão ou frota

Ao longo da leitura deste conteúdo, deixamos clara a importância de realizar as revisões preventivas no caminhão, para evitar uma série de prejuízos. Mas como elaborar um plano de manutenção eficiente? Nossa sugestão é que você faça, antes de qualquer coisa, um levantamento dos dados referentes às manutenções que já foram feitas na sua frota.

Em seguida, determine um orçamento. Essa etapa é importante para fazer um controle dos gastos com as manutenções. Depois, é só seguir estes passos:

  • defina a período para os check-ups;
  • faça checklists para verificação;
  • classifique cada componente do caminhão;
  • monte um cronograma;
  • acompanhe os indicadores de produtividade;
  • registre todas as manutenções;
  • conte com o apoio de um sistema especializado.

Vale ressaltar que os veículos novos já vêm com um cronograma de revisões definido de fábrica, sendo sua responsabilidade apenas respeitar os prazos indicados. Em ambos os casos, a presença de um mecânico de confiança faz toda a diferença na qualidade das manutenções do seu caminhão.

Além disso, a utilização de peças originais deve ser uma prioridade. Nesse caso, podemos ajudar você! Afinal, nós, da Fras-le, estamos entre as cinco maiores fabricantes de peças de fricção do mundo. Temos o compromisso de desenvolver produtos de alta qualidade, sustentáveis e de maior durabilidade e segurança. Por isso, conte com a gente no momento de realizar a manutenção de seu caminhão, ok?

Gostou do conteúdo? Ficou interessado nos produtos que oferecemos? Então, visite nosso e-commerce agora mesmo!