Entenda tudo sobre o sistema de freio a ar de caminhão

Se você já trabalha há bastante tempo nas estradas, a bordo do seu caminhão, certamente, sabe que a segurança no trânsito depende de boas escolhas. Uma delas, claro, se refere ao modo como você conduz seu veículo e os cuidados que tem com ele, fazendo as revisões necessárias e dirigindo de forma preventiva. Mas algumas questões estão mais ligadas à qualidade das peças que compõem o motor e, nesse caso, entra em destaque o sistema de freio a ar de caminhão.

Principalmente quando falamos em veículos pesados, é ele que garante a proteção tanto de quem está dentro da cabine quanto dos pedestres e demais ocupantes das vias que você percorre. Atualmente, há componentes mais modernos entre os diversos tipos existentes, como o sistema de freio a ar de caminhão.

Como a sua rotina depende da segurança no veículo, vale a pena conhecer mais a fundo esse assunto, não acha? Por isso, vamos abordar em detalhes as diferenças entre os sistemas de frenagem, como funciona o freio a ar, quais são os seus componentes e suas funções, dicas para sua manutenção e muito mais. Confira!

Quais são os diferentes tipos de freios para caminhão?

A indústria automobilística é uma das que mais evoluíram ao longo dos anos, em especial, quando o assunto é a segurança do motorista. Com os veículos pesados, isso não é diferente. Assim, o foco em dar mais garantias de proteção aos sistemas de frenagem é cada vez maior e deve estar entre as preocupações habituais do bom caminhoneiro.

A principal função desse sistema, afinal, é permitir que o caminhão pare ou reduza a velocidade quando necessário. Mesmo quando as condições não são favoráveis como: carga, produtos deslizantes na pista, descidas íngremes etc.

Cada modelo de veículo tem um tipo de frenagem e, a partir de agora, vamos resumir as principais diferenças entre eles, antes de nos aprofundarmos sobre o sistema de freio a ar de caminhão. Confira!

Freio ABS

Temos certeza de que você já ouviu falar nessa sigla que, em inglês, quer dizer Antilock Braking System. Mais importante do que traduzir é entender o que ele significa: basicamente, ele impede que as rodas travem em caso de paradas bruscas, ou seja, as chances de o veículo deslizar na freada são drasticamente diminuídas.

Desde 2014, a legislação brasileira tornou seu uso obrigatório na produção de todos os veículos fabricados no país. Ele tem sistema pneumático (a ar) e é acionado a partir da válvula do pedal, que libera o ar para os freios, impedindo o movimento brusco das rodas, que poderiam fazer com que o caminhão derrapasse.

Freio EBS

A sigla é bem parecida, e o motivo é que se trata de uma evolução do modelo anterior. É que, em vez de ser acionado por ar, isso é feito eletronicamente (daí o nome, Eletronic Brake System). Sua principal vantagem está no tempo de resposta do sistema, bem mais rápido do que o ABS.

Freio a disco

Criado no começo do século 20, o sistema a disco, na época, revolucionou a frenagem de veículos, tornando-a bem mais segura do que as versões anteriores. Com o uso dele, os discos são os responsáveis por parar as rodas, após sofrerem a pressão das pastilhas que os comprimem. Ainda há muitos caminhões que utilizam esse sistema, mas é preciso cuidado, pois ele permite as paradas bruscas que ocasionam derrapagem.

Freio motor

Aqui, estamos falando do sistema que usa a redução da marcha para diminuir a velocidade do veículo, por meio da válvula de escape.

Freio auxiliar

Quem quer garantir mais confiança na condução do caminhão nas rodovias brasileiras pode optar por esse complemento. Ele é bastante comum nos veículos pesados, com mais de 150 toneladas. Com ele, a passagem de óleo nas engrenagens do câmbio é interrompida.

Freio a ar

Também é conhecido como freio pneumático e foi usado, inicialmente, nos trens. Um cilindro de freio é instalado no veículo e sua frenagem ocorre a partir das mudanças na pressão do ar. Vamos falar sobre isso com mais detalhes, a seguir.

Como funciona o sistema de freio a ar de caminhão?

Com a evolução dos processos de fabricação dos veículos que circulam mundialmente, todos os sistemas de frenagem utilizados atualmente tiveram melhorias em sua produção.

Com isso, utilizam matéria-prima mais resistente e durável, que garante a melhor possibilidade de fazer com que os veículos parem quando necessário. Sendo assim, sem que haja atraso no tempo de resposta ou freadas muito bruscas, que podem ocasionar acidentes graves. Isso, sem dúvida, se você fizer a manutenção adequada das peças, incluindo o funcionamento do sistema de freio a ar do caminhão.

De toda forma, há mais uma série de procedimentos que devem ser adotados para que a manutenção desse componente esteja em dia e garanta a sua proteção (falaremos mais sobre isso adiante).

Os freios pneumáticos foram criados nos Estados Unidos há bastante tempo, no fim do século 19, inicialmente, para o sistema de parada dos trens. Somente em 1956 passaram a ser instalados nos caminhões, oferecendo mais segurança aos seus condutores.

A base do sistema de freio a ar de caminhão é o compressor de ar. É ele o responsável por fazer com que a frenagem receba o ar, ao mesmo tempo em que isso ocorre no motor. Esse ar fica comprimido e é enviado ao regulador. Assim, a pressão dos freios é controlada, sendo o excesso de ar lançado para fora do veículo.

Tanto o eixo dianteiro quanto o traseiro têm dutos que levam aos freios. Além, daqueles relacionados ao freio de estacionamento, ao freio motor e ao da buzina, e outras peças do veículo. Se a pressão em algum desses dutos cair, não há perda total no desempenho do sistema de frenagem, pois os demais podem compensar esse problema em situações de emergência.

Quais são os componentes desse sistema?

O sistema de freio a ar de caminhão tem uma série de componentes que devem estar em pleno funcionamento para garantir a sua segurança ao conduzir. Claro que o seu mecânico de confiança entende toda essa engrenagem. É importante, porém, que você conheça um pouco mais sobre ela para resolver possíveis problemas e prestar atenção à necessidade de manutenção das peças. Vamos lá?

Compressor de ar

Como dissemos, essa é a base de funcionamento do sistema de freio a ar do seu veículo pesado. É ele que mantém o nível de pressão de ar necessário para que a parada ocorra sempre que você precisar.

Em geral, com algumas diferenças entre um modelo e outro, o compressor usa uma correia ou uma engrenagem para seu acionamento. Já para que seja resfriado, pode ser usado um sistema de refrigeração do motor ou ar.

Esse compressor é ligado sempre que o caminhão entra em movimento. O ar em seu reservatório é, então, carregado e descarregado, conforme a sua necessidade, bombeando o ar para os reservatórios e os cilindros.

Aqui, vale a pena dar atenção ao tipo de sistema que seu veículo utiliza. Se for refrigerado por um sistema do motor, será preciso verificar o suprimento de óleo e de filtragem dele para que funcione regularmente.

Reservatórios do sistema de freio a ar

Os caminhões e ônibus, que são considerados veículos pesados, têm reservatórios com ar comprimido para que ele seja armazenado até que haja necessidade de utilizá-lo para uma frenagem. Esses tanques, por sua vez, contêm as válvulas de drenagem, que se abrem para retirada de umidade ou de partículas poluentes, garantindo mais pureza ao ar do sistema.

Válvula de pé

Trata-se do pedal a que já estamos acostumados, responsável, no caso do sistema de freio a ar do caminhão, por determinar a pressão que será usada no momento em que for preciso frear. Quanto mais forte pisar no pedal, mais ar será enviado ao sistema.

É preciso cuidado, pois leva um tempo para que o ar comprimido preencha novamente o compressor, o que pode levar a uma falha no sistema. Por isso, é preciso que o caminhoneiro passe por um treinamento para uso dele.

Pastilhas de freio

São também chamadas de câmaras, responsáveis por transformar o ar comprimido em força mecânica para acionar os freios e fazer as rodas pararem de girar com segurança.

As pastilhas devem ser revisadas regularmente, com periodicidade que, certamente, você encontrará no manual do proprietário. Com a manutenção preventiva, o pistão poderá funcionar normalmente, evitando falhas no sistema.

Tambores de freio e sapatas

São essas peças que causam o atrito necessário para a frenagem. Em alguns modelos, a função também pode ser das pastilhas. Quando o pedal é pisado, os tambores e as sapatas são forçadas para fora, fazendo com que o sistema de freio a ar comece a funcionar.

A consistência das sapatas é reforçada pelo forro de freio afixado nelas, regulando, inclusive, a temperatura. Esse revestimento também deve ser trocado de tempos em tempos, por isso, observe se o seu mecânico de confiança está fazendo a checagem necessária.

Como saber se há desgaste nos componentes?

Como você sabe, trabalhar na estrada exige muita atenção do caminhoneiro a todo o tempo. Não apenas em tudo o que acontece no seu entorno, mas, principalmente, aos sinais que o veículo dá sobre seu pleno funcionamento.

O sistema de freio a ar oferece alguns sintomas de que algo está errado e isso deve ser observado pelo motorista para garantir a sua segurança. Portanto, ao perceber que há qualquer indício de falha, o ideal é levar o veículo à oficina o quanto antes.

Quer saber quais são os sintomas normalmente relacionados à frenagem? Preste atenção às nossas dicas, a seguir:

  • quando você freia, o caminhão tende a virar para um dos lados da pista: esse pode ser um sinal de que as pinças estão oxidadas ou com algum outro defeito. Também pode ser que as mangueiras estejam entupidas, que as pastilhas estejam desgastadas ou que os discos estejam empanados;
  • freou e ouviu um ruído diferente? Pode ser desgaste tanto na lona quanto nas pastilhas ou superaquecimento no sistema;
  • se os pedais estiverem vibrando mais do que o normal, o disco ou o tambor pode estar deformado;
  • pode haver problema se o pedal estiver muito duro, também;
  • vazamento de fluido pode ser detectado se o pedal do freio estiver muito baixo;
  • no painel, a luz de freio acesa indica que pode haver alguma falha, em especial, se for associado ao pedal baixo.

Quais são as vantagens desse sistema de freio?

Uma das maiores vantagens do uso do sistema de freio a ar de caminhão é a possibilidade de permitir que várias unidades sejam acopladas ao veículo. E que elas tenham capacidade de usar a frenagem, a partir do controle da cabine. Isso oferece mais segurança aos caminhões de carga maiores, que levam toneladas de produtos e insumos pelas rodovias.

É justamente por isso que ele é o mais utilizado tanto em caminhões quanto em ônibus e, até mesmo, em reboques. Em relação ao hidráulico, ele é melhor porque permite seu funcionamento mesmo que haja vazamentos de ar. Além disso, esse sistema é mais resistente, mesmo quando há problemas que levam à alta temperatura nas frenagens.

Que cuidados devem ser tomados?

Algumas situações de perigo podem ser evitadas pelo caminhoneiro para que o sistema de freio a ar do caminhão tenha maior durabilidade e segurança. Por isso é tão importante, por exemplo, conhecer o seu funcionamento e os seus componentes. Veja, a seguir, o que deve ser evitado e como cuidar melhor da frenagem do seu veículo.

Alta temperatura

O superaquecimento do sistema costuma ocorrer, principalmente, se houver problemas de manutenção tanto dos tambores quanto das lonas. O que ocorre, aqui, é que há menos atrito entre as peças, fazendo com que elas percam a eficiência na frenagem. Se as pastilhas estiverem folgadas demais, também há risco de a temperatura se elevar.

Esse calor pode prejudicar, além do sistema de freio, outras peças do caminhão, entre elas, os pneus. Portanto, os gastos e os riscos são maiores.

Pressão do ar desregulada

Até aqui, você já entendeu que o sistema de freio de ar do caminhão ocorre a partir da pressão do ar no compressor, por isso, também é chamado de pneumático. Acontece que essa pressão deve ser regular, ou seja, se houver vazamentos, por exemplo, você poderá ter dificuldades para frear o caminhão.

O que pode causar isso? Uma das situações é a contaminação do óleo do motor. Outra possibilidade é que os reservatórios de ar tenham água acumulada. Por fim, pode haver falha na vedação das válvulas.

A revisão periódica do sistema ajuda a evitar que qualquer um desses problemas ocorra, pois o mecânico deve estar preparado para checar os dutos, a drenagem, as válvulas que regulam a pressão do ar e o compressor.

Carga em excesso

Esse é um cuidado que você, caminhoneiro profissional e experiente, certamente já conhece. O excesso de carga pode provocar uma série de problemas em seu veículo, sendo o desgaste do sistema de freio um dos principais e mais preocupantes. Além dele, pneus, suspensão e amortecedores podem ser afetados.

Sendo assim, na hora que você realmente precisar de um bom controle do freio, pode sofrer com o risco de ele não responder na velocidade adequada, pois a carga é maior do que aquela determinada como limite pelo fabricante. Portanto, cuidado com o peso máximo em seu veículo!

Quando deve ser feita a manutenção do sistema de freio a ar?

Lembra-se de que lá no começo do artigo nós falamos sobre como a sua direção pode influenciar a segurança e a vida útil de peças do seu veículo, incluindo o sistema de freio a ar do caminhão? Você já teve algumas pistas dos cuidados necessários, mas o ideal é reforçar o que deve ou não ser feito para que a frenagem se mantenha eficaz em suas viagens.

O primeiro passo, como sempre, é realizar a manutenção preventiva do caminhão, seguindo as orientações do manual do proprietário. Assim, você evita custos extras com peças danificadas, que podem ser causadoras de falhas importantes e levar a acidentes.

Outro ponto a que você deve dar atenção é o respeito ao limite máximo de carga do seu veículo, pois as peças e componentes são fabricados para suportar esse valor e podem se desgastar mais rapidamente caso ele seja ultrapassado com frequência.

Além disso, é preciso dirigir de forma defensiva, tentando não fazer freadas bruscas. Essa dica é ainda mais importante logo após a troca das pastilhas, ok?

O uso do freio motor é tão decisivo que as rodovias estão repletas de placas para lembrar você disso. Portanto, não deixe de trafegar sempre com o caminhão engatado, em especial nas descidas, e evite pisar no freio repetidamente. Vale lembrar que o freio de mão deve ser usado apenas no momento de estacionar o veículo, certo?

Os componentes do sistema de freio a ar de caminhão são produzidos para ter alta durabilidade. De toda forma, a revisão não deve ser deixada de lado. Normalmente, é recomendada a cada 5 mil quilômetros, e o melhor é seguir esse prazo máximo à risca.

Por que contar com peças de qualidade?

Com segurança não se brinca. Essa máxima serve para lembrar você de que o uso de peças originais no seu veículo é primordial para que haja uma maior proteção a você e a todos os que estiverem em seu entorno. Dito isso, procure sempre usar peças de reposição com boa procedência, compradas em empresas com experiência e credibilidade no mercado.

Usar a concessionária para as suas manutenções periódicas costuma ser um caminho mais certeiro para garantir a mão de obra eficiente e componentes originais. A qualidade das peças e do serviço prestado é fundamental para que sua vida na estrada seja mais tranquila. Independentemente do local escolhido para a revisão, vale a pena perguntar a marca das peças utilizadas, em especial quando o assunto é o sistema de freio!

Onde comprar peças de qualidade para o sistema de freio a ar de caminhão?

Está em dúvida sobre a melhor empresa para a compra de peças de qualidade do sistema de freio a ar do caminhão? A Fras-le está no mercado há mais de 60 anos e está entre os cinco maiores fabricantes de materiais de fricção do mundo.

Suas fábricas ficam localizadas na Argentina, Europa, Estados Unidos e Colômbia, com operações comerciais no Chile, Europa, México, Emirados Árabes Unidos e África do Sul. Isso possibilita que a empresa atenda à demanda internacional de forma rápida e eficiente.

Seus produtos têm alta qualidade, são sustentáveis (por exemplo, não há uso de amianto entre seus componentes), têm alta durabilidade, confiabilidade e segurança. Tudo isso, a um preço melhor do que a média de mercado.

A Fras-le investe constantemente em tecnologia avançada, comercializando seus produtos para distribuidores de autopeças, que por sua vez vendem para lojas de varejo. Por isso é importante saber onde o mecânico compra suas peças.

Pode não parecer, mas ter mais conhecimento sobre o seu veículo, em especial quando se trata do sistema de freio a ar do caminhão, é fundamental para que você tome os cuidados necessários para garantir a sua segurança.

Além de tudo, você terá mais embasamento para acompanhar as manutenções feitas nele, podendo economizar, sem abrir mão da qualidade nas substituições, sempre que forem necessárias.

Com o que aprendeu aqui, só resta ficar atento, observar os ruídos e possíveis desgastes e visitar seu mecânico periodicamente.

Percebeu que está na hora de levar seu caminhão para a revisão periódica e dar uma boa olhada nos componentes do seu sistema de freio? Ficou com alguma dúvida sobre o assunto? Entre em contato conosco e conte com o apoio de quem preza pela qualidade das peças do seu veículo!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.